Conjuntivite canina: entenda o que fazer

Você já ouviu falar em conjuntivite canina? O problema, bastante comum entre os pets, nem sempre é facilmente identificado pelos tutores e precisa receber tratamento adequado, já que em casos mais graves pode levar à cegueira. Saiba mais e aprenda a reconhecer os sintomas da doença!

Afinal, o que é a conjuntivite canina?

A conjuntivite canina é uma inflamação na mucosa das pálpebras, que é chamada de conjuntiva e tem a função de proteger os olhos.

Diferente do que acontece com a conjuntivite humana, ela é mais frequentemente provocada por questões como ressecamento ocular, a presença de um corpo estranho no olho do pet, traumas e condições ambientais, como vento e poeira, do que por fungos e bactérias.

Por falar em diferenças entre conjuntivite humana e canina, é importante ressaltar que a doença que atinge os animais não é transmitida para os humanos e vice-versa.

Além disso, devido às próprias causas primárias da conjuntivite canina, ela raramente é transmitida de um pet para outro. Ainda assim, para evitar que isso aconteça, se houver em casa um animal com a doença, o ideal é isolá-lo dos demais até a cura definitiva.

Quais são os principais sinais da conjuntivite canina?

O sintoma inicial da conjuntivite canina é uma leve irritação nos olhos, que com frequência não é notada pelos tutores ou é encarada como algo de menor importância. Quando não tratada nessa fase inicial, a doença também pode provocar:

  • vermelhidão nos olhos;

  • lacrimejamento;

  • inchaço;

  • secreção;

  • dor;

  • dificuldade para manter os olhos abertos, o que deixa o cão com os olhos semicerrados ou piscando constantemente;

  • coceira;

  • sensibilidade à luz.

O que fazer ao notar os sintomas de conjuntivite canina?

Ao perceber os sintomas de conjuntivite canina, o tutor deve levar seu pet ao veterinário imediatamente.

O profissional irá avaliar a origem do problema por meio de um exame físico e, se necessário, poderá solicitar alguns testes, como exame de lágrima, contraste no olho e cultura bacteriana para poder realizar o diagnóstico mais adequado e prescrever o tratamento.

Em geral, a conjuntivite canina é curada com pomadas, colírios ou medicamentos antibióticos ou anti-inflamatórios. No entanto, é de fundamental importância só administrar ao seu pet a medicação prescrita pelo veterinário. Jamais tente curar a doença com soluções caseiras ou mesmo utilizando remédios sugeridos por outros tutores.

É possível prevenir a conjuntivite canina?

A melhor maneira de prevenir a conjuntivite canina é mesmo tendo cuidado extra com a higiene do seu cachorro. A sujeira entre os pelos e as secreções na região ocular devem ser removidas frequentemente usando soro fisiológico ou uma solução específica para esse fim.

Além disso, evite que o animal tenha contato com substâncias de alto potencial alergênico para eles, como produtos de limpeza, cremes o perfumes.

Por fim, fique atento à qualquer irritação ou alteração na região ocular do pet, para que o problema possa ser diagnosticado o mais precocemente possível.

Gostou de saber mais sobre conjuntivite canina e as melhores formas de identificar, tratar e prevenir a doença? Então não se esqueça de compartilhar esse post em suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *